Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

Seja Bem Vindo!

 

 

Presidente Juscelino Kubistchek (1956-1961).Presidente Juscelino Kubistchek (1956-1961).

 

Governador Luiz Garcia (1959-1962).Governador Luiz Garcia (1959-1962). 

Riacho CapivaraRiacho Capivara 

 

Antônio Pinto de Resende (Sr. Totô)Antônio Pinto de Resende (Sr. Totô)

 

 

Pedro Xavier de MeloPedro Xavier de Melo

 

 

Cicero Gerônimo Poderoso (Cícero Gabino).Cicero Gerônimo Poderoso (Cícero Gabino).

 

 

Manoel de Souza Lima (Manezinho Delegado).Manoel de Souza Lima (Manezinho Delegado).

 

         Antônio Dantas TavaresAntônio Dantas Tavares

 

ADMINISTRAÇÃO ANTÔNIO TAVARES

          Em 03 de outubro  de 1958 ocorreu eleições para governador, senador, deputados estaduais e federais, prefeitos e vereadores. O eleitorado portofolhense elegeu Antônio Dantas Tavares (UDN) prefeito local, ao passo que Sergipe concedia a Luiz Garcia o cargo de governador.

          Nesta oportunidade em Porto da Folha também foram eleitos os vereadores Elizeu Poderoso da Silva, Manoel Joaquim Lima, Luiz Alves de Sá, José Pereira Valença e José Pereira Dantas (Zé de Simeão).

          Entre janeiro de 1959 e dezembro de 1960 a prefeitura de Porto da Folha esteve a cargo do gentil agricultor. O autor deste texto conheceu pessoalmente o Sr. Antônio Tavares, bem como a fábrica de beneficiamento de arroz em plena atividade sob sua coordenação no povoado Ilha do Ouro. Não há dúvida de que a população daquele núcleo o tinha como protetor, pois além de ofertar-lhe serviço na lavoura, mantinha-a afastada da fome e outras privações. Por causa deste  comportamento exemplar, o povo de Porto da Folha também o acolheu como líder, sobretudo por sua relevante participação e competência no setor agrícola. Antônio Dantas Tavares foi um dos responsáveis pela posição alcançada pelo município na produção de arroz em determinadas ocasiões. A família Tavares foi quem incentivou  Manoel de Souza Lima a aspirar ao cargo de delegado de polícia em Porto da Folha, daí ficou a alcunha “Manezinho Delegado”.

          Embora tenha conduzido a prefeitura durante apenas dois anos e cedido para Antônio Pinto de Resende concluir, a gestão de Antônio Tavares foi plausível. Nela aconteceu a expansão de calçamento, com lajotas de pedras, da antiga Rua Cel. João Fernandes, a partir do Beco de Joaquim da esquina até a curva defronte a casa de Miguel Maceió. 

          Já em Sergipe a governança ficou a cargo de Luiz Garcia entre 1959 e 1962, porém este não governou integralmente, por motivo de saúde passou o cargo para Dionísio de Araújo Machado seis meses antes do término. Dionísio esteve no poder até 30 de janeiro, momento que passou o cargo para Horácio Dantas de Góis permanecer apenas um dia até a posse do ribeirinho João de Seixas Dória em 31 de janeiro de 1963.

          Presidente do Brasil nesta ocasião: Juscelino Kubistchek (1956-1961), sucedido por Jânio Quadros (1961) - Jânio Quadros se deparou com a grande crise econômica por que passava o Brasil naquele momento, herança de Kubitschek que ele não conseguiu solucionar por causa de sua política neutra na Guerra Fria, sendo acusado de apoiar o comunismo. Jânio Quadros ficou sem apoio e teve que abandonar o cargo sete meses após; em seu lugar assumiu Ranieri Mazzilli (1961) durante 13 dias até o retorno do vice-presidente João Goulart, que estava em viagem pelo exterior.

           Antônio Dantas Tavares nasceu em Porto da Folha dia 19/07/1922, era filho de Luiz Loureiro Tavares e Rosa Dantas Tavares. Faleceu em Aracaju dia 17/09/1988 deixando descendentes. 

por Joaquim Santana Neto (reedição maio/2021)