Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

Seja Bem Vindo!

 

 

Gropu Escolar Cel Maynard GomesGropu Escolar Cel Maynard Gomes

 

Outros notáveis do magistério: 

Profa. Agenilva de Freitas Mendonça;

Profa. Clara Maria de Souza Menezes;

Profa. Maria das Dores Campos;

Profa. Maria das Dores Batista da Silva;

Profa. Estela Rodrigues Lima de Sá;

Profa. Maria da Salete Poderoso de Souza;

Profa. Maria de Lourdes Cardoso Gouveia;

Profa. Maria São Pedro Campos;

Prof. Dogival Alves da Silva;

Prof. Domingos Gonçalves Lima;

Prof. Francisco Antônio da Silva Lima;

Prof. Temístocles Pereira;

 

Notáveis faltando dados:

Maria Eogênia de Sá;

Minelvino de Farias Lima; 

Moisés Cajazeiras.

 

 Professora RaquelProfessora Raquel

RAQUEL RODRIGUES BERNARDINO

 

          A Professora Raquel Rodrigues Bernardino, natural de Porto da Folha, nasceu aos 31/08/1906, filha do Advogado provisionado Promotor Público de Gararu Sr. José Rodrigues de Souza Lima e dona Maria Josefa Lima.

          Devido as constantes mudanças de seu pai, então funcionário do fisco do estado, ela não teve oportunidade de cursar o primário, mas foi uma das mais competentes e dedicadas professoras de Porto da Folha, em que pese a sua modesta ao dizer: “Sou apenas uma professora do Bê-a-Bá”. Iniciou-se no magistério ainda jovem, por identificar-se plenamente com essa atividade, ministrando aulas particulares em sua casa. Foi professora por mais de 40 anos ininterruptos, da década de 1930 a 1960, tendo lecionado em Propriá, Neópolis, sendo a maior parte na cidade natal.

          Ao chegar recém-casada a Porto da Folha, foi morar na fazenda Jericó, de propriedade do sogro Manoel Alves Lima Néo (Nezinho do Jerocó), onde abriu escola de primeiras letras na casa em que morava, para ensinar a garotada da redondeza. Por problema de saúde do seu esposo e primo, José Bernardino Neto, que adoecera em nove meses depois do casamento, ela conseguiu emprego em Propriá e ali foi nomeada professora municipal, indo ensinar numa escola na comunidade Marimbondo, atualmente povoado São José no município de Canhoba.

         Retornou a Porto da Folha poucos anos depois, também por problema de saúde do esposo, sendo nomeada pelo Intendente Termístocles Pereira para a Cadeira de Professor Noturno do Ensino Misto Municipal, através do ato nº 2 de 01/02/1934. Por esta época, entre seus alunos estavam Dr Lindolfo Gonçalves Lima, filho de Zuza do Farias; Lindolfo Alves de Souza; Frei Honório, Frei Angelino e Frei Petrônio; Padre João Lima Feitosa; Cel. Francisco Argolo Xavier; Pedro Alves da Rocha.

          Aprovada em 2º lugar em concurso público estadual, foi nomeada Professora do Corpo de Substitutas, através da portaria nº 149 de 04/09/1947, do Diretor do Departamento de Educação do Estado, Prof. Acrísio Cruz, no Governo José Rollemberg Leite, deixando então a rede de ensino municipal. Por Decreto de 24/03/1953, do Governo Arnaldo Rollemberg Garcez, foi nomeada Professora Interina Classe A, do Quadro Especial de Primário.

          Foi transferida para Neópolis, onde lecionou cerca de três anos, aposentando-se em 25/10/1957, no Governo Leandro Maciel. Retornou a Porto da Folha e continuou ministrando aulas particulares em sua residência, por cerca de cinco anos. Voltou ao serviço público através do Decreto de 03/04/1963, do governador Seixas Dória, que a nomeou para a função comissionada de Diretora das Escolas Reunidas Cel. Maynard Gomes, função que exerceu por alguns meses. Encerrou as suas atividades no serviço público neste ano, mas continuou ministrando aulas particulares em sua residência por vários anos.

          Por conta de sua extrema dedicação ao magistério, a Professora Raquel crava um vínculo afetivo com as famílias dos alunos e com os próprios alunos, sobretudo com os mais dedicados, os que descobriram no estudo algo mais do que aprender as meras lições diárias. Ao inserir a família no convívio da problemática da escola, ela se antecipa ao tempo, pois esta é uma orientação pedagógica dos dias atuais. Esses alunos, por sua vez, lhe devotavam admiração e gratidão ao longo da vida, porque encontraram nela o incentivo e o apoio de mestra zelosa, e através dela conseguiram o embasamento de que precisavam para as etapas futuras de suas vidas.

          A Professora Raquel Rodrigues Bernardino faleceu aos 76 anos de idade em Aracaju dia 17/06/1982. Entre outras talentosas instrutoras deste convívio, a Profa. Raquel é considerada filha Ilustre de Porto da Folha. 

Obs.: Texto transcrito do livro ‘Porto da Folha – Fragmentos da História e Esboços Biográficos’ de Manoel Alves de Souza. Maiores detalhes a respeito da docente estão nas páginas 381 a 385 da citada obra.