Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

Seja Bem Vindo!

 

LINDOLFO MOREIRALINDOLFO MOREIRA

 Lindolfo Alves de Souza

 

          Lindolfo Alves de Souza, natural de Porto da Folha, nasceu dia 30/07/1919, filho do Sr. Pedro Moreira de Souza e Maria dos Prazeres de Sá.

          A fase de adolescência de Lindolfo Alves praticamente se deu na fazenda Lagoa ajudando seu pai nas obrigações da agropecuária, observando, inclusive, o movimento das volantes e cangaceiros que circulavam na região de Porto da Folha, momento que se deslocou para a sede do município para estudar as primeiras letras com a professora Maria Campos de Souza (Profa. São Pedro) e Raquel Rodrigues Bernardino. Posteriormente alistou-se em Aracaju e serviu ao Exército no 28º BC, ao retornar à terra natal, casou-se em 1943 com Maria da Conceição Celestino da Silva.

          Observado com habilidade para o serviço público, foi nomeado Intendente pelo governador José Rollemberg Leite para conduzir a prefeitura de Porto da Folha entre 11/04/1947 e a posse de Antônio Gonçalves Dórea, eleito em outubro/1947.  

          Após a presente transição democrática residiu durante certo período na fazenda Lagoa. Em 1950 Lindolfo mudou-se para a cidade e passou a ser tesoureiro do município na gestão do prefeito Gonçalinho, vindo a exercer este cargo também nas gestões dos prefeitos Antônio Pinto de Resende, Antônio Tavares e Pedro Xavier de Melo. Desde jovem Lindolfo envolveu-se na política partidária do município e ocupou diversos postos na direção dos partidos em que era filiado. Formado em Contabilidade pelo IUB, foi aprovado em concurso público da Secretaria da Fazenda do Estado em 1966 para o cargo de auxiliar de Exatoria, indo trabalhar na cidade de Capela, posteriormente em Barra dos Coqueiros e, por fim, Aracaju onde sua família já se achava estabelecida.

          Por sua dedicação e luta em prol do funcionalismo público, Lindolfo Alves de Souza é considerado Notável cidadão portofolhense. O Sr. Lindolfo veio a falecer dia 22/10/1999 em Aracaju. Maiores detalhes a respeito do notável conterrâneo estão entre as páginas 24 e 28 do livro ‘Porto da Folha – Fragmentos da História e Esboços Biográficos’ de Manoel Alves de Souza.

 

 

por Joaquim Santana Neto

Obras de Manoel Alves de SouzaObras de Manoel Alves de Souza

Sertão portofolhenseSertão portofolhense

 

Manoel de LindolfoManoel de Lindolfo

 

Manoel Alves de Souza

Escritor, Professor

 

          Em 1966 o Sr. Lindolfo transferiu a numerosa família para Aracaju, de fato uma decisão sublime, pois na capital teus filhos teriam a oportunidade de progresso que Porto da Folha jamais poderia oferecer; finalmente, a maioria dos filhos de Lindolfo tem curso superior, entre eles Manoel Alves de Souza, que após longa batalha na UFS como funcionário entre 1972 e 1996, tendo a princípio exercido ali o cargo de datilógrafo, assistente administrativo e técnico em assuntos educacionais. Adiante, na mesma instituição, assumiu os seguintes cargos de confiança: Secretário do Departamento de Psicologia e Sociologia (1978 a 1979); Secretário da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis – PROEST (1979 a 1982), e Coordenador de Promoções Culturais e Recreativas da PROEST (1982 a 1989), tendo assumido por várias vezes neste período o cargo de Pró-Reitor, na qualidade de substituto eventual. Com o Pró-Reitor Luiz Eduardo Alves de Oliva, criou, em 1984, os Prêmios Universitários e o Caderno de Cultura do Estudante, tendo coordenado por doze anos o programa e editado os dez primeiros números do referido Caderno. Eleito conselheiro tutelar do Conselho Universitário – CONSU – da UFS; representou os funcionários da instituição no referido colegiado (1984 e 1985). Professor da Rede Estadual de Ensino (1978-1981), por concurso público. Membro suplente do Conselho Estadual de Cultura (1993 a 1996); Secretário de Governo da Prefeitura de Porto da Folha (2005 a 2006). Manoel Alves de Souza é graduado em Letras Vernáculas pela Universidade Federal de Sergipe. A importância do citado portofolhense não se limita somente na grandeza de sua inteligência, Manoel Alves de Souza é pessoa de fino caráter. Por ele a comunidade de sua terra tem profundo respeito e admiração, sobretudo pela sabedoria evidenciada nas duas publicações de obras literárias: ‘Porto da Folha – Fragmentos da História e Esboços Biográficos’; e ‘Porto da Folha na Revolução de 1930 – Prefeitos e Intendentes’.

           Manoel Alves de Souza, natural de Porto da Folha, nasceu aos (....), filho de Lindolfo Alves de Souza e Maria da Conceição de Souza. Atualmente aposentado, sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, residindo na capital Aracaju.

 

Fonte: Pesquisas realizadas por JSN em Porto da Folha e outros.